Guia de iniciação Contabilidade Ativos Compras Inventário Vendas Conta Corrente Bancos Impostos Integração com Rose People Sistema Glossário Sugestões
Rose Business Management ImpostosModelo 22
ImpostosModelo 22
Modelo 22

Modelo 22

Última alteração a 08/07/2022
Este artigo é aplicável a:
Administrador
Resp. de Vendas
Resp. de Compras
Financeiro
Técnico de RH
Assistente de RH
Configurador

Uma das declarações essenciais para as empresas é o Modelo 22, dado o seu caráter de obrigatoriedade e papel no cálculo dos impostos.

Enquadramento Legal

O Modelo 22 é uma declaração periódica destinada a comunicar os rendimentos sujeitos ao imposto sobre os rendimentos das pessoas coletivas (IRC), ou seja, apura o lucro tributável e respetivo imposto a pagar ou, por outro lado, o prejuízo fiscal e o imposto a ser reembolsado.

Estes valores são obtidos a partir do resultado líquido do período apurado nos documentos contabilísticos. Todas as empresas devem entregar esta declaração anualmente por via eletrónica no site da Autoridade Tributária e é sempre relativa ao período de tributação anterior.

Constituição da Declaração

O ROSE suporta atualmente a Folha de Rosto e o Anexo D (benefícios fiscais) do Modelo 22 com os seguintes campos:

Folha de rosto

Está estruturada em função dos mais diversos procedimentos necessários para o apuramento do imposto, seguindo a estrutura do Código do IRC:

Quadros 01, 02, 03, 04 e 05

Deverá indicar o ano civil, o Código de Serviço das Finanças da sede ou do estabelecimento estável, a identificação e caracterização do sujeito passivo – se é residente ou não residente, se é uma micro uma PME ou não PME e qual o regime de tributação dos rendimentos.

Nota: Aquando do preenchimento do quadro 03-B, deverá indicar se a empresa se trata de um Organismo de Investimento Coletivo. Em caso positivo, não deverá preencher este quadro, devendo apurar o lucro tributável diretamente no Anexo F.

Quadros 07, 08, 09 e 10

São utilizados para determinar o IRC a liquidar. O quadro 07 destina-se ao apuramento do lucro tributável que corresponde ao resultado líquido do período, apurado na contabilidade.

Quadro 9

É de preenchimento obrigatório para os campos relativos ao lucro tributável e prejuízo fiscal, mesmo nos casos em que o valor apurado não dê origem ao pagamento do imposto.

Nota: Se indicou no quadro 03-B que a sua empresa é um Organismo de Investimento Coletivo, não deve preencher este quadro.

Quadro 10

Destina-se ao cálculo do imposto. Além do valor da coleta total, deve indicar valores como as deduções relativas a benefícios fiscais que operam por dedução à coleta, devendo ainda discriminá-los no quadro 07 do anexo D.

Quadros 11, 12, 13 e 14

Quadros complementares à informação inserida nos quadros anteriores e servirão para controlo de dados por parte da AT.

Anexo D – Benefícios Fiscais

Deverá indicar todos os benefícios fiscais neste anexo, que se subdividem em dois tipos de benefícios:

  • Deduções ao rendimento: inscritas na sua totalidade no quadro 07 da declaração.
  • Deduções à coleta: inseridas no quadro 10.

Gerar Modelo 

Antes de gerar o modelo 22, deverá garantir os seguintes requisitos:

  • Os exercícios/períodos em causa devem estar fechados;
  • Criar o apuramento de resultados do exercício;
  • A(s) conta(s) de contabilidade deve(m) estar configurada(s) para tributação autónoma. Assim, o ROSE irá preencher automaticamente o motivo de tributação autónoma nos impostos da linha aquando da criação de um lançamento e, posteriormente, irá apresentar todos os valores lançados no mapa de tributação autónoma;
  • No reporte fiscal, serão apresentadas todas as configurações sugeridas de base para este Modelo que são suportados atualmente no sistema para facilitar a sua geração do. Caso crie outra configuração, deverá garantir que os dados se encontram devidamente preenchidos.
  • Garantir que, na configuração de comunicação à Autoridade Tributária, todos os modelos legais estão adicionados na área Reporte Fiscal, bem como o reporte fiscal que será utilizado para cada modelo;
    Nota: Estas configurações são disponibilizadas de base e que apenas é necessário revê-las se criou ou alterou alguma das configurações sugeridas.

Para gerar o modelo 22, siga os seguintes passos:

  1. Aceder a Impostos | Mapas Legais | Modelo 22;
  2. Validar o exercício;
  3. Indicar o Prejuízo Dedutível e o Prejuízo Deduzido caso tenha prejuízo dos anos anteriores. Esta informação será utilizada para preencher os campos 303 e 309 da declaração;
  4. Selecionar o tipo de declaração aplicável;
    Nota: Se escolher o tipo “Declaração de Substituição – Fora do Prazo legal”, terá de indicar a data em que vai entregar esta declaração;
  5. Selecionar o tipo de empresa aplicável;
  6. Clicar em Guardar;
  7. Depois de processada, poderá consultar os campos que serão preenchidos no Modelo 22 e os respetivos valores;
  8. Exportar o ficheiro e submetê-lo no portal da Autoridade Tributária.

O ROSE não sugere valores para os vários motivos do quadro 04 do anexo D, mas poderá indicar o valor aplicável no reporte fiscal.

Guardar ou partilhar este artigo
Esta página foi útil?
Obrigado pelo seu voto.
Faça login para deixar a sua opinião.
Obrigado pelo seu feedback. Iremos analisá-lo para continuarmos a melhorar!
Artigos Relacionados
Modelo 22